Arquivo do mês: dezembro 2009

O Encorajador

E a liberdade será a canção do meu coração….
A liberdade possui dois braços: a consciência e a responsabilidade.
Como cristãos somos desafiados a exercer nossa liberdade em favor do outro por meio de ações de serviço.
Existe uma frase muito interessante: “Sou livre quando sou capaz de amar as pessoas sem nada exigir”. O amor que não busca seus próprios interesses é uma marca do cristão livre.
Para exemplificarmos essa classe de amor, que só pode ser exercido por um cristão livre, vamos estudar um homem que não é muito “famoso” mas que foi totalmente livre. Livre para amar sem esperar nada em troca. Livre para perdoar. Ele foi um encorajador.
Todo grupo precisa de um encorajador.Precisamos ser animados de vez em quando.O encorajamento muitas vezes é ignorado em seu valor porque ele acontece geralmente em particular e não em público. E geralmente necessitamos de mais estímulo quando nos sentimos sós. Nesse tempo onde o individualismo e o pragmatismo são marcas de comportamento de uma geração, sobram vagas e faltam obreiros para desenvolverem a função de encorajadores.
Mas o que é ser um encorajador? É ser um alentador, um estimulador, um animador, alguém que aviva, incita o melhor do outro. Alguém que é livre em Deus para exercer o amor que não busca seus próprios interesses. Livre para servir. Então vamos lá abra sua Bíblia comigo e vamos aprender a liberdade do serviço. A liberdade exercida por um encorajador.
Ele foi uma das pessoas mais influentes no início do cristianismo. Ele era um levita rico natural da ilha de Chipre. Seu nome era José que significa (Deus aumenta, Deus acrescenta) e ele recebeu o sobrenome ou apelido por parte dos cristãos de Jerusalém de Barnabé que significa aquele que dá coragem ou encorajador ou ainda filho da consolação. A contribuição desse homem foi decisiva para o crescimento da igreja primitiva. É interessante como Deus faz as coisas. Ele usa pessoas que nós nem imaginamos para fazer coisas que são essenciais para o seu reino. Deus é especialista em usar aqueles que “não são”. Ele realmente é Soberano e sabe o que faz.
Paulo é um nome muito conhecido pelos cristãos. E é justo que assim seja, ele escreveu quase dois terços do Novo Testamento. O que seria das igrejas sem as orientações tão maravilhosas dadas por Paulo através de suas epístolas não é mesmo? E ainda o que dizer da Reforma que aconteceu depois de Martinho Lutero ter lido o livro de Romanos que é um tratado maravilhoso escrito por Paulo. Nossa esse homem realmente foi importante. Ele evangelizou os gentios.
E o que dizer então de João Marcos. O homem que Deus usou para escrever o primeiro evangelho. Os outros evangelistas consultaram os escritos de Marcos e “beberam” dessa fonte para escrever seus livros.
Mas o que tudo isso tem a ver com Barnabé? Quem foi esse cara afinal?
Ele foi o primeiro homem a vender suas propriedades para ajudar os cristãos em Jerusalém.
Confira comigo na sua Bíblia – Atos 4:36 a 37.
Nossa, esse cara deve ser mesmo interessante, não é mesmo? Ele se destacou primeiramente pela sua generosidade. Mas olha, ele não parou por aí não. Ele fez mais.
Ele foi o instrumento de Deus para conduzir Paulo até os cristãos em Jerusalém. Imagina a coragem desse homem. Só pode encorajar quem tem coragem não é mesmo? E isso ele demonstrou ter de sobra. Todos estavam com medo de Paulo. Ele era um homem muito influente que perseguia os cristãos e os conduzia a morte. Mas Barnabé não teve medo. Ele ouviu rumores sobre a conversão de Paulo e foi lá conferir. Imagine a ousadia desse sujeito. Ele realmente dependia de Deus. Confira comigo em sua Bíblia – Atos 9:26 e 27. e Atos 11:24 a 26
At 9:26 Tendo chegado a Jerusalém, procurou juntar-se com os discípulos; todos, porém, o temiam, não acreditando que ele fosse discípulo.
27) Mas Barnabé, tomando-o consigo, levou-o aos apóstolos; e contou-lhes como ele vira o Senhor no caminho, e que este lhe falara, e como em Damasco pregara ousadamente em nome de Jesus.

At 11:24 Porque era homem bom, cheio do Espírito Santo e de fé. E muita gente se uniu ao Senhor.
25) E partiu Barnabé para Tarso à procura de Saulo;
26) tendo-o encontrado, levou-o para Antioquia. E, por todo um ano, se reuniram naquela igreja e ensinaram numerosa multidão. Em Antioquia, foram os discípulos, pela primeira vez, chamados cristãos.

Agora você pode imaginar o que teria sido de Paulo caso Barnabé não houvesse disposto sua vida, arriscado sua segurança para aproximar-se de Paulo e depois fazer essa “ponte” entre Paulo e os outros cristãos?
Você pode imaginar a igreja sem Paulo? Então não podemos imaginar a igreja sem Barnabé não é mesmo?
Ele era um homem de ação. Ele levou socorro financeiro aos irmãos que estavam passando por necessidades na Judéia. Era considerado um profeta e doutor (veja Atos 13:1), mas era um servo.
Ele também encorajou Marcos, um jovem rapaz, a viajar com ele e com Paulo para Antioquia.
Atos 12:25 Barnabé e Saulo, cumprida a sua missão, voltaram de Jerusalém, levando também consigo a João, apelidado Marcos.
João Marcos era seu primo. Ele foi o primeiro a viajar com Paulo formando um grupo missionário.
Ele tinha uma outra característica muito linda. Ele estava disposto a aprender. No inicio ele como todo judeu era um tanto quanto indiferente aos gentios mas ampliou sua visão, viajou com Paulo. Ele não estava fechado em si mesmo. Ele acreditou no chamado de Paulo e foi com ele. Que coisa linda não é mesmo? Ele não era reducionista. Ele não era ensimesmado
Ele estava pronto a servir a visão do outro. Ele caminhava a segunda milha.
Ele era amado e respeitado pelos anciãos e apóstolos da igreja. Leia comigo

Atos 15:25. Pareceu-nos bem, chegado a pleno acordo, eleger alguns homens e enviá-los a vós outros com os nossos amados Barnabé e Paulo,
26) homens que têm exposto a vida pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo.

E quando ele e Paulo tiveram uma discussão a respeito de continuar ou não com João Marcos. Ele optou por permanecer com João Marcos. Vamos conferir em Atos 15:36 a 39. (leia na sua Bíblia)
Isso duplicou o esforço missionário. Posteriormente João Marcos,que gastou um tempo com Pedro, escreveu o evangelho que leva seu nome. Será que ele teria ido tão longe sem o encorajamento de Barnabé? Será que ele teria superado o sentimento de fracasso diante da rejeição de Paulo sem Barnabé?
Com certeza esse episódio não feriu o relacionamento entre Paulo e Barnabé. Porque vemos Paulo citando várias vezes a Barnabé. E em
Col 4:10 vemos que Marcos estava com Paulo. Ou seja, o episódio ocorrido lá no começo do ministério não impediu o relacionamento entre eles. Agora, já por volta do ano 60 Paulo e Marcos estavam juntos outra vez. Que importante é a presença e a sensatez de um encorajador para vencermos os obstáculos naturais que ocorrem no processo ministerial.
Agora não se esqueça. Você precisa encorajar e precisa de um encorajador ao seu lado. Vamos orar para que Deus levante mais “Barnabés”. Pessoas que realmente aumentam. Pessoas que encorajam, pessoas livres que servem por amor.

Paz para seu coração
Cleo Russo
cleonicerusso@gmail.com ministeriotrio@gmail.com

Anúncios

IMAGEM E SEMELHANÇA

Falar sobre arte é falar dAquele que é o maior artista. Todas as coisas foram feitas por intermédio dEle e sem Ele, nada do que foi feito se fez (João 1:3). O nosso Deus é um Deus criativo! E se a palavra de Deus nos diz que somos feitos à sua imagem e semelhança, então, podemos crer que como filhos somos herdeiros também da sua criatividade.

Deus criou o mundo e tudo o que nele há. E nós, seres humanos, somos uma grande prova de sua imensa capacidade artística. Que outro deus poderia criar tamanha obra de arte? Você já parou para analisar o ser humano como obra de arte? Do nascimento até a morte Com todo o seu funcionamento, sistemas locomotor, respiratório, digestivo, os cinco sentidos e suas aplicabilidades? E o nascimento de uma criança? Já parou para analisar o quanto isto é tremendo e lindo?! Como não servir e adorar a um Deus majestoso, glorioso e criativo? Como filhos de Deus devemos entender que temos em nós uma criatividade que é herdada de Deus. Ou seja, toda a nossa criatividade vem dEle!

Talvez você possa pensar assim: “mas não sou um artista, nem sou nada criativo”. Quero te dizer que realmente você pode até não ser considerado um artista, mas que dentro de você existe uma sementinha de criatividade vinda do Pai que te criou e que no devido tempo pode ser descoberta e deve ser gerada, estimulada e usada. E por que não usá-la para servir Aquele que lhe concebeu?

Infelizmente no mundo hoje, muitos tem usado as artes não para honrar ou falar do Criador, mas para exaltar a si mesmos, se vangloriar, distorcer, difamar e até destruir. A mídia, por exemplo, que poderia ser um canal de arte disponível a todos como benção tem levado ensinamentos e incentivos a traições, pornografias, contendas, rebeldias, sensualidades, manipulando as pessoas e apresentando-lhes uma arte que não condiz com a palavra de Deus, disseminando as obras de Satanás e enganando pessoas que não tem o discernimento de que as artes são de Deus, foram criadas por Ele e para Ele e seus propósitos devem ser exercidos.

Deus em sua infinita misericórdia procura falar conosco de várias formas e uma delas é através das artes. A bíblia está repleta de exemplos da Sua criatividade e busca pela perfeição e como Deus, devemos buscar sempre em fazermos o melhor, seja no trabalho, em casa, na escola, na faculdade, na igreja ou no ministério e onde mais Ele nos enviar. Na construção do Tabernáculo, por exemplo, (Êxodos 26) Deus procurou pelos melhores arquitetos, ourives, artesãos e outros. Ali é lugar de artistas adoradores! Como podemos perceber através da leitura deste texto, o Senhor é extremamente detalhista em tudo o que faz. Todas as medidas foram calculadas milimetricamente, as cores que foram estabelecidas no feitio das cortinas e vestimentas foram especialmente escolhidas por Ele, e não se esqueçam que só a Ele pertencem! As pedras e o ouro utilizados, os utensílios, e tudo mais que fazia parte da construção do templo, foi fruto da criatividade de Deus.

Deus sempre busca fazer o melhor! E, como filhos de Deus, devemos dar o exemplo e fazer o melhor também. Principalmente se for para Ele! Nunca ofereça e nem faça nada para Deus pela metade ou mal feito. Quando Deus mandou Saul matar todo o gado, e ele resolveu poupar alguns, isto não agradou a Deus e Ele resolveu lhe tirar do seu cargo de rei (I Samuel 15:7). Não se esqueça que Ele um dia entregou o que tinha de melhor, a obra de arte mais cara e de valor inestimável, por vocês em uma cruz… Assim, seus pecados puderam ser perdoados e agora você pode ter uma vida eterna ao lado do Pai.

Ao realizar uma obra de arte, seja ela de qual espécie for, seja cantar, pintar, tocar, desenhar, esculpir ou dançar, nunca se esqueça de que este dom vem de Deus. Então, ofereça primeiramente a Ele! Consagre sua arte a Ele! E, se você tem o dom mas precisa ser aperfeiçoado, faça isto! Busque o aperfeiçoamento necessário! O nosso Deus merece o melhor! Procure uma boa escola, de preferência que esteja baseada nos princípios cristãos, caso não seja possível, então procure uma escola onde você não terá que se comprometer e se envolver com coisas que não condizem com a palavra de Deus. Lembre-se: tudo me é permitido, mas nem tudo me convém (I Coríntios 6:12). Precisamos ser influenciadores e não influenciados! Precisamos pregar as boas novas de Cristo (Marcos 16:15), e uma excelente forma de se fazer isto é através das artes. Então, entregue seu dom a Deus e deixe-O te usar.

Adriana Rocha


ENTREGANDO A DEUS O EXCELENTE

A Bíblia nos diz para sermos cuidadosos ao entregar uma oferta ao Senhor. Maldito o homem que faz a obra relaxadamente (Jeremias 48.10). Deus é merecedor do nosso melhor. Não é mesmo?
Ser excelente é estado de ser bom no mais alto grau. É buscar qualificação naquilo que se faz. Isto implica em investimento e esforço. Estamos inseridos no monte das Artes e a opinião comum diz que para se fazer uma arte que tenha como resultado uma obra de qualidade, é necessário a especialização do artista. Deus com todo seu poder criativo soprou dentro de nós a criatividade e a excelência que existe nEle. ( Gênesis 2:7: Então formou Deus o homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente). Toda a nossa capacidade de criar vem da criatividade que Ele transferiu a nós. Vale ressaltar que a criatividade vem de Deus mas a qualidade da obra depende de nós.

Arte é tudo o que fazemos com excelência. No nosso contexto, devemos analisar principalmente o aspecto espiritual, pois Deus não tem procurado artistas simplesmente, Ele tem procurado adoradores que usam a arte como um instrumento de adoração a Ele e para salvação dos perdidos. Sendo assim, devemos viver uma vida de santidade, buscando constantemente o arrependimento e uma vida saudável com o Pai.

O monte das Artes se refere a tudo o que expressa criatividade e beleza de Deus. Qualquer atitude de criatividade deve-se, primeiramente, ouvir a voz de Deus. Isso é necessário para que a nossa criatividade na adoração não seja comum. Uma busca por Deus diária e a fuga do pecado, nos aproxima mais do Senhor e isso nos faz sensíveis à voz dEle. Existe um propósito por sermos criados à imagem e semelhança de Deus. Uma luva é feita à imagem e semelhança da mão para conter a mão. Assim, também devemos conter Deus e O expressarmos, adorando e executando com excelência aquilo que Ele nos deu.

Uma criança ao nascer é colocada no colo da mãe e logo cessa o seu choro. Isto acontece porque a criança escuta as batidas do coração da mãe. A mesma batida que escutava quando estava dentro do útero. Então ela se sente segura. Deus quer que façamos como essa criança. Descanse no colo dEle e escute as batidas do coração do Pai. Isso te trará refrigério e te fará entender qual o desejo do coração de Deus. O coração de Dele tem pulsado por vidas!

Em Filipenses 2:5 diz: Tende em vós o mesmo sentimento que houve em Cristo Jesus. Neste versículo Paulo nos orienta a assumirmos o papel de servos, que amam e obedecem. Como artistas cristãos, devemos nos preocupar com aqueles que não conhecem Deus, obedecendo ao Senhor quando Ele nos diz para ir e pregar o Evangelho. A especialização se tona uma estatégia de salvação. Uma coreografia, uma peça de teatro, uma música, com certeza irá transmitir uma mensssagem, pois a arte é uma linguagem. Mas devemos buscar excelência em nossas manifestações artíticas, pois só será considerada algo de qualidade ser estiver tecnicamente correta e a mensagem será mais clara.

Em uma empresa, por exemplo, a qualidade é um termo geralmente empregado para significar excelência de um produto ou serviço. Do ponto de vista do cliente, a qualidade está associada ao valor e à utilidade reconhecida ao produto, estando, em alguns casos, ligada ao preço. Ao meditarmos no sacrifício de Jesus, podemos contemplar a excelência desse ato! Alguém de muito valor pagou um alto preço por mim e por você! Jesus fez tudo aquilo por querer estar perto de nós por toda eternidade. Deus entregou o que Ele tinha de mais precioso porque nos ama! Ele fez algo extravagantemente excelente!

Em êxodo 35: 30 Deus chama a Bezael e a Aoliabe para fazerem a obra do serviço do santuário e diz no versículo 31 que o Espírito de Deus encheu a Bezael de habilidade, inteligência e conhecimento de todo artifício. Isto é o que precisamos ter ao desenvolver um trabalho. Habilidade, inteligência e conhecimento daquilo que estamos fazendo. Salomão nos diz para buscarmos habilidade. Provérbios 1:5:

“Ouça o sábio e cresça em prudência; e o instruído adquira habilidade”.

Diante disso não podemos nos esquecer que tudo o que fazemos vem de Deus e é para a glória Dele. Somos como vasos de barro contendo um grande tesouro: o que tem mais valor está dentro de nós. O barro é frágil, e nem é tão bonito assim, mas o tesouro contido no vaso é que o faz ter muito valor.

O maior espetáculo não recebe aplausos e nem elogios. É assistido por um único espectador que espera de nós um espírito contrito e um coração quebrantado. Esse Ele nunca desprezará.

“Temos porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência o poder seja de Deus e não de nós. ”(II Coríntios 4:7)

Renata Pales