Arquivo do dia: dezembro 15, 2008

Continue a remar!

dsc04711Olá pessoal!!

Estou muito contente por poder compartilhar com vocês a experiência que vivi nestes dias. Desde o início deste ano tenho aguardado em Deus por alguma experiência nova, um novo mover e alguma direção e orientação a respeito da minha vida: família, ministério, profissão enfim, todas as áreas. Creio que assim como eu, todos que acreditam em Deus esperam que Ele interfira de alguma maneira em nossa vida, não é mesmo?

Também não conseguimos compreender bem o porquê que situações difíceis e angustiantes acontecem conosco, os filhos de Deus. Entendo que às vezes achamos que pouco Ele têm feito talvez por não conseguirmos reconhecer Suas intervenções; ou por não sentirmos Sua presença; ou por estarmos tão apressados para uma resposta que simplesmente não atinamos para aquilo que está acontecendo a nossa volta, já que julgamos demorar muito e passamos a acreditar que aquilo que oramos ou ouvimos “não era de Deus”.

Há algumas semanas estive orando a respeito disso, pois não conseguia suportar a ausência de respostas ou o “suposto silêncio de Deus”. Mas graças ao Senhor que realmente era apenas uma suposição. Esta semana no encontro do Mudança, Deus, de uma maneira maravilhosa, compartilhou conosco através da Iana um texto do Max Lucado (o livro Ouvindo Deus na tormenta) e uma passagem bíblica sobre esses temas já citados (Jesus andando sobre as águas).

Carinhosamente Deus elucidava em nossos corações o seu consolo, já que não era apenas eu que estava passando por este tipo de ansiedade. Além disso, durante o compartilhar da Palavra, Deus foi me trazendo a memória momentos que eu havia deixado despercebidos e que Ele, de uma maneira graciosa, já havia me falado eu deixei passar batido. O Senhor já havia me falado através do rádio enquanto estava dirigindo; através do último seminário e que eu havia esquecido ou que simplesmente não dei muita atenção (pode uma coisa dessas???!!!!), de orações e convicções de projetos pessoais que havia feito, da oração que meu irmão Gleison fez em minha casa e até mesmo através da Clau, minha esposa ,enquanto conversávamos. Como Deus é insistente em Seu amor, o encontro foi mais uma maneira maravilhosa em que o Altíssimo chamou nossa atenção para voltar a ELE e perceber o que Ele queria.

Juntei as peças e finalmente reconheci que Deus estava me falando há muito tempo e que não estava percebendo. ELE me falava sobre um novo tempo em minha vida que eu ainda não havia experimentado. Mas o que seria isso? Como seria? E quando iniciaria? A resposta não demorou muito.

No último fim de semana fui a uma confraternização de final de ano de uma clínica que trabalho no centro de BH, substituindo uma dentista que é mamãe recente, e ganhei um livro de um colega que não é crente. O livro chama-se A CABANA (William P. Young) e a princípio não liguei muito, pois era um livro de ficção aparentemente secular, mas depois do encontro de quarta feira resolvi começar a lê-lo. Pensei : “vai ver que é Deus querendo me chamar à Sua presença de alguma maneira”, e foi mesmo.

Ao começar a lê-lo confesso que quase desisti, pois se tratava de uma situação tão trágica com a filha do protagonista que eu como pai recente não gostaria nem de pensar. Porém cri que devia continuar a remar (como os discípulos em sua travessia sob a ordem de Jesus) e obedecer àquela disposição que Deus colocou no meu coração para ler aquele livro. Fui interceptado pela presença do Espírito Santo sob as águas turbulentas daquela estória e percebi que a ação de Deus naquele livro podia ser tudo, menos ficção. Deus começou a quebrar áreas de religiosidade em minha vida que supunha não ter, Ele respondeu a perguntas e me saciou com Sua presença de maneira a muito não experimentada, Ele me curou a alma e me deu a medida de fé necessária para topar este novo tempo que está profetizado sobre minha vida. Basta apenas continuar a remar, só que agora completamente renovado.

Continuem a remar, meus irmãos, algo vai acontecer, apenas creiam e obedeçam.

Breno